INstituto da mulher negra do piauí – AYABÁS LANÇA PROJETO “ENEGRECENDO SABERES”

O Instituto da Mulher Negra do Piauí (AYABÁS) realizou nesta quinta (20), o lançamento d  seu projeto ‘’Enegrecendo Saberes: para uma educação antirracista’’. O evento foi realizado no Memorial Esperança Garcia e contou com a presença do professor Solimar Oliveira e Mc Camilly.

O projeto é uma iniciativa do AYABÁS contemplada pelo edital Maria Elza promovido pelo Instituto Odara, tem como objetivo provocar profissionais da educação sobre o racismo na escola e a aplicação da Lei 10.639/03, alterada pela Lei 11.645/08, que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e e=indígena em todas as escolas, públicas e particulares, do ensino fundamental até o ensino médio.

Lançamento do Projeto Enegrecendo Saberes, Teresina/Piauí.

A abertura contou com a apresentação de Mc Camilly, a jovem de 16 anos, cantou músicas de seu repertório que versam sobre a sua realidade enquanto mulher negra periférica, e marcou a abertura do evento.

MC Camily no lançamento do projeto Enegrecendo Saberes.

A palestra intitulada “ Estratégias pra inserção da história e cultura afro-brasileira no currículo escolar” foi conduzida pelo professor Solimar Oliveira e abordou os desafios na trajetória educacional de pessoas negras na história de formação da sociedade brasileira. “A implementação da Lei precisa ser impulsionada. Embora tenhamos avanços nestes 21 anos, temos ainda mais desafios, precisamos sensibilizar  e mobilizar frequentemente  as pessoas envolvidas no sistema escolar público  e privado. O projeto das Ayabás é  uma ação  necessária para discutirmos isso”, completa.

Professor Solimar Oliveira no lançamento do projeto Enegrecendo Saberes.

A Ayabás Halda Regina, coordenadora do projeto acredita que a temática é importante na promoção de um diálogo com a sociedade. “Quando a gente descobre a nossa história, sabe de onde viemos, quem nós somos, nossa capacidade intelectual, a gente tem outra perspectiva de vida, a gente tem autoestima, e isso é muito importante para todas as crianças negras e para as crianças não-negras também, para elas entenderem que nós precisamos ver as outras pessoas com igualdade, e não sendo superior e nem se sentindo inferior. Então a lei é isso, é falar de nós, como população negra que está inserido dentro de humanidade”, afirma.

Professora Haldaci Regina – Coordenadora do Projeto Enegrecendo Saberes para a construção de uma educação antirracista.

A partir de agora , o grupo pretende desenvolver diversas atividades, que irão acontecer até o mês de dezembro. A realização de oficinas em diversas escolas de Teresina, visa uma melhor capacitação para professores. O próximo evento está marcado para o dia 26 deste mês, e acontecerá no Centro Municipal de Educação Infantil Nossa Senhora da Guia em Teresina. 

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × dois =